Mercado reduz novamente previsão para o crescimento do PIB em 2018

Analistas do mercado financeiro voltaram a reduzir a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e a elevar a previsão para a inflação em 2018.

O resultado está no mais recente relatório de mercado, também conhecido como "Focus", divulgado nesta segunda-feira (9) pelo Banco Central e que reúne as estimativas de economistas das instituições financeiras colhidas na semana passada.

De acordo com o documento, os economistas preveem agora que a economia brasileira vai crescer 1,53% neste ano.

No relatório divulgado na semana passada, os analistas estimavam crescimento de 1,55% para o PIB.

O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. O Banco Central também já reduziu a sua previsão para o crescimento da economia brasileira em 2018, de 2,6% para 1,6%.

Para 2019, a expectativa do mercado financeiro para a expansão da economia se manteve em 2,50%. Para 2020 e para 2021 a previsão também é que a economia cresça 2,5%.

Inflação
Pela oitava semana consecutiva os analistas do mercado financeiro elevaram a previsão para a inflação em 2018, passando de 4,03% para 4,17%.

Para 2019 os economistas mantiveram a previsão de inflação em 4,1% e em 4% para 2020 e 2021.

Taxa de juros
Os analistas do mercado financeiro também mantiveram em 6,50% ao ano a previsão para a taxa básica de juros da economia, a Selic, ao final de 2018.

Com isso, o mercado estima que a taxa de juros fique estável no atual patamar de 6,50% ao ano até o fechamento deste ano.

Para o fim de 2019, a estimativa do mercado financeiro para a Selic continuou em 8% ao ano. Deste modo, os analistas seguem prevendo alta dos juros no ano que vem.

Já para 2020 e 2021 a previsão é de manutenção da taxa em 8% ao ano.

Câmbio, balança e investimentos
Os analistas ouvidos pelo relatório Focus também não mexeram na projeção da taxa de câmbio para o fim de 2018, que ficou estável em R$ 3,70 por dólar. Para o fechamento de 2019, a previsão para o dólar permaneceu em R$ 3,60.

Já a previsão do dólar para o fechamento de 2020 subiu de R$ 3,60 para R$ 3,63. Para o fechamento de 2021 ficou estável em R$ 3,70 por dólar.

Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2018, os analistas reduziram a previsão de superávit de US$ 58,28 bilhões para US$ 57,81 bilhões.

Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado também caiu de US$ 49,7 bilhões para US$ 49,7 bilhões.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2018, ficou estável em US$ 70 bilhões. Para 2019, a estimativa dos analistas caiu de US$ 776,60 bilhões para US$ 75,30 bilhões.

Fonte: G1 Globo | 09/07/2018

Links Úteis







Agenda Tributária

  • 20/Junho/2019
  • EFD - Contribuintes do IPI | Pernambuco e Distrito Federal.
saiba mais

Cotações e Índices

Moedas - 19/06/2019 13:15:13
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,874
  • 3,874
  • Paralelo
  • 3,850
  • 4,040
  • Turismo
  • 3,720
  • 4,030
  • Euro
  • 4,341
  • 4,343
  • Iene
  • 0,036
  • 0,036
  • Franco
  • 3,889
  • 3,888
  • Libra
  • 4,890
  • 4,890
  • Ouro
  • 166,790
  •  
Mensal - 06/05/2019
  • Índices
  • Fev
  • Mar
  • Inpc/Ibge
  • 0,54
  • 0,77
  • Ipc/Fipe
  • 0,54
  • 0,51
  • Ipc/Fgv
  • 0,35
  • 0,65
  • Igp-m/Fgv
  • 0,88
  • 1,26
  • Igp-di/Fgv
  • 1,25
  • 1,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,47
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais
Contabras - Contabilidade e Auditoria

Rua Lisboa 391, Jardim América
CEP 05413-000 | São Paulo - SP
Fone: (11) 3062.2388


Desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)