A partir de março, os Correios aumentarão o preço do frete

A partir do dia 6 de março, teremos um reajuste de 8,03% no valor dos fretes realizados pelos Correios. Esta correção deverá variar de acordo com a localidade.

Depois de enfrentar uma batalha judicial contra e-commerces e associações no ano passado, que entraram na justiça para barrar o reajuste dos fretes, os Correios decidiram não repetir a dose em 2019. Em comunicado ao canal E-Commerce Brasil, a estatal afirmou que o novo aumento ficou abaixo do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) de 2018, que foi de 8,74%. O que parece ter sido considerado razoável pela indústria.

Em nota, os Correios também informaram que estão criando novas opções aos clientes: “Para a manutenção dos redutores de preço nas postagens de encomendas das micro e pequenas empresas, foi disponibilizado um pacote básico, que pode ser contratado pela internet. Esse pacote de serviços contempla preços mais competitivos em relação aos praticados na modalidade de pagamento à vista, permite faturamento das postagens e não possui cobrança de valor mínimo mensal”.

PAC ficará mais barato
O PAC (Prático, Acessível e Confiável) é um método de entrega dos Correios disponível para todos os municípios brasileiros, com prazo de entrega que varia de sete a dez dias úteis. Também a partir do dia 6 de março, este tipo de frete passará a contar com redutores de preço de até 4% em contratos de varejo, desde que a pré-postagem seja efetuada de forma eletrônica.

Os Correios também confirmaram o fim da exigência de quantidade mínima de encomendas, que agora passa a valer de acordo com o valor mínimo mensal.

Por fim, depois de ter sido suspenso em 2018, o pacote de serviços Encomenda 1 voltará a valer, com cobrança mínima mensal de R$ 1 mil em consumo de serviços de encomendas. Os clientes que contrataram esse pacote de serviços e possuem faturamento abaixo desse valor serão migrados para o pacote básico.

Apesar do reajuste incidir muito mais sobre o e-commerce nacional, leia-se micro e pequenas empresas, também significa um aumento no valor dos serviços prestados por estas empresas aos seus clientes. Com a redução do PAC, por exemplo, os custos do serviço podem não aumentar para o consumidor. Já a correção dos valores dos fretes em 8,03% poderá representar o aumento no custo da mercadoria para os clientes.

Fonte: Olhar Digital | 30/01/2019

Links Úteis







Agenda Tributária

  • 22/Janeiro/2020
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais.
saiba mais

Cotações e Índices

Moedas - 20/01/2020 17:10:32
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 4,181
  • 4,182
  • Paralelo
  • 4,140
  • 4,380
  • Turismo
  • 4,010
  • 4,350
  • Euro
  • 4,632
  • 4,634
  • Iene
  • 0,038
  • 0,038
  • Franco
  • 4,316
  • 4,317
  • Libra
  • 5,435
  • 5,436
  • Ouro
  • 209,250
  •  
Mensal - 03/12/2019
  • Índices
  • Set
  • Out
  • Inpc/Ibge
  • -0,05
  • 0,04
  • Ipc/Fipe
  • -
  • 0,16
  • Ipc/Fgv
  • -
  • -0,09
  • Igp-m/Fgv
  • -0,01
  • 0,68
  • Igp-di/Fgv
  • 0,50
  • 0,55
  • Selic
  • 0,46
  • 0,48
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,59
  • 0,59
  • TR
  • -
  • -
saiba mais
Contabras - Contabilidade e Auditoria

Rua Lisboa 391, Jardim América
CEP 05413-000 | São Paulo - SP
Fone: (11) 3062.2388


Desenvolvido pela TBrWeb
(XHTML / CSS)